A Primavera da Tunísia islâmica

o legado de Bourguiba

Translated title of the contribution: Tunisia's Islamic Spring: the Legacy of Bourguiba

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

Desde o início da revolução em 2010, a Tunísia entrou numa situação de descontrole sociopolítico. Após derrubar o regime do ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali em janeiro de 2011, os cidadãos tunisianos participaram da primeira eleição direta no final daquele ano. A nomeação do partido islâmico moderado, o movimento Ennahda, trouxe não só a mudança governamental, mas também incitou divisões ideológicas entre a base secularista e a islamita. Enquanto o Ennahda – banido por Ben Ali em 1989 – tem mantido uma postura liberal, a presença crescente do salafismo juntamente com a resposta laissez-faire por parte do Ennahda fez surgirem preocupações de que a laicidade da Tunísia poderia sujeitar-se a valores religiosos conservadores. Assim, neste artigo será explorado o papel da fé na política da Tunísia através da dinâmica entre o fundador da Tunísia contemporânea, Habib Bourguiba (1903-2000), e os primeiros movimentos islâmicos. Embora a liberdade tenha sido alcançada sob o jugo, permanece o medo da imposição de outro. Por sua vez, este artigo irá explorar as nuances dentro do regime islâmico e diferenciar os desafios enfrentados pela Tunísia à medida que progride o período pós-revolucionário.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)34-38
Number of pages5
JournalCiência e Cultura
Volume64
Issue number4
Publication statusPublished - 1 Dec 2012

Keywords

  • Tunisia
  • Maghreb
  • politics
  • history
  • North Africa
  • Islam
  • Arab Spring
  • Revolution

Cite this

A Primavera da Tunísia islâmica : o legado de Bourguiba. / Gandolfo, Luisa.

In: Ciência e Cultura, Vol. 64, No. 4, 01.12.2012, p. 34-38.

Research output: Contribution to journalArticle

@article{6e2b82640e1843d188e6e49043492186,
title = "A Primavera da Tun{\'i}sia isl{\^a}mica: o legado de Bourguiba",
abstract = "Desde o in{\'i}cio da revolu{\cc}{\~a}o em 2010, a Tun{\'i}sia entrou numa situa{\cc}{\~a}o de descontrole sociopol{\'i}tico. Ap{\'o}s derrubar o regime do ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali em janeiro de 2011, os cidad{\~a}os tunisianos participaram da primeira elei{\cc}{\~a}o direta no final daquele ano. A nomea{\cc}{\~a}o do partido isl{\^a}mico moderado, o movimento Ennahda, trouxe n{\~a}o s{\'o} a mudan{\cc}a governamental, mas tamb{\'e}m incitou divis{\~o}es ideol{\'o}gicas entre a base secularista e a islamita. Enquanto o Ennahda – banido por Ben Ali em 1989 – tem mantido uma postura liberal, a presen{\cc}a crescente do salafismo juntamente com a resposta laissez-faire por parte do Ennahda fez surgirem preocupa{\cc}{\~o}es de que a laicidade da Tun{\'i}sia poderia sujeitar-se a valores religiosos conservadores. Assim, neste artigo ser{\'a} explorado o papel da f{\'e} na pol{\'i}tica da Tun{\'i}sia atrav{\'e}s da din{\^a}mica entre o fundador da Tun{\'i}sia contempor{\^a}nea, Habib Bourguiba (1903-2000), e os primeiros movimentos isl{\^a}micos. Embora a liberdade tenha sido alcan{\cc}ada sob o jugo, permanece o medo da imposi{\cc}{\~a}o de outro. Por sua vez, este artigo ir{\'a} explorar as nuances dentro do regime isl{\^a}mico e diferenciar os desafios enfrentados pela Tun{\'i}sia {\`a} medida que progride o per{\'i}odo p{\'o}s-revolucion{\'a}rio.",
keywords = "Tunisia, Maghreb, politics, history, North Africa, Islam, Arab Spring, Revolution",
author = "Luisa Gandolfo",
year = "2012",
month = "12",
day = "1",
language = "Portuguese",
volume = "64",
pages = "34--38",
journal = "Ci{\^e}ncia e Cultura",
issn = "0009-6725",
publisher = "Universidade Federal do Ceara",
number = "4",

}

TY - JOUR

T1 - A Primavera da Tunísia islâmica

T2 - o legado de Bourguiba

AU - Gandolfo, Luisa

PY - 2012/12/1

Y1 - 2012/12/1

N2 - Desde o início da revolução em 2010, a Tunísia entrou numa situação de descontrole sociopolítico. Após derrubar o regime do ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali em janeiro de 2011, os cidadãos tunisianos participaram da primeira eleição direta no final daquele ano. A nomeação do partido islâmico moderado, o movimento Ennahda, trouxe não só a mudança governamental, mas também incitou divisões ideológicas entre a base secularista e a islamita. Enquanto o Ennahda – banido por Ben Ali em 1989 – tem mantido uma postura liberal, a presença crescente do salafismo juntamente com a resposta laissez-faire por parte do Ennahda fez surgirem preocupações de que a laicidade da Tunísia poderia sujeitar-se a valores religiosos conservadores. Assim, neste artigo será explorado o papel da fé na política da Tunísia através da dinâmica entre o fundador da Tunísia contemporânea, Habib Bourguiba (1903-2000), e os primeiros movimentos islâmicos. Embora a liberdade tenha sido alcançada sob o jugo, permanece o medo da imposição de outro. Por sua vez, este artigo irá explorar as nuances dentro do regime islâmico e diferenciar os desafios enfrentados pela Tunísia à medida que progride o período pós-revolucionário.

AB - Desde o início da revolução em 2010, a Tunísia entrou numa situação de descontrole sociopolítico. Após derrubar o regime do ex-presidente Zine El Abidine Ben Ali em janeiro de 2011, os cidadãos tunisianos participaram da primeira eleição direta no final daquele ano. A nomeação do partido islâmico moderado, o movimento Ennahda, trouxe não só a mudança governamental, mas também incitou divisões ideológicas entre a base secularista e a islamita. Enquanto o Ennahda – banido por Ben Ali em 1989 – tem mantido uma postura liberal, a presença crescente do salafismo juntamente com a resposta laissez-faire por parte do Ennahda fez surgirem preocupações de que a laicidade da Tunísia poderia sujeitar-se a valores religiosos conservadores. Assim, neste artigo será explorado o papel da fé na política da Tunísia através da dinâmica entre o fundador da Tunísia contemporânea, Habib Bourguiba (1903-2000), e os primeiros movimentos islâmicos. Embora a liberdade tenha sido alcançada sob o jugo, permanece o medo da imposição de outro. Por sua vez, este artigo irá explorar as nuances dentro do regime islâmico e diferenciar os desafios enfrentados pela Tunísia à medida que progride o período pós-revolucionário.

KW - Tunisia

KW - Maghreb

KW - politics

KW - history

KW - North Africa

KW - Islam

KW - Arab Spring

KW - Revolution

M3 - Article

VL - 64

SP - 34

EP - 38

JO - Ciência e Cultura

JF - Ciência e Cultura

SN - 0009-6725

IS - 4

ER -